Histórico


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis
 Belvedere
 Blocos
 Casa de Paragens
 Doces Pensantes
 Jus Sperniandi
 Kayuá
 Liria Porto
 Maria Helena Bandeira
 Marta Rolim
 Ovo Azul Turquesa
 poesias flavio.blog
 Recanto das Letras
 Rosa Pena
 Rosa Pena
 Umberto Krenak
 Varal da Literatura
 Site da Belvedere
 Palavras Mil
 O repouso do guerreiro
 Olhos do Sol
 Rafael Duarte
 Alberto Cohen
 Andrade Jorge
 Clube das Almas Inquietas
 Micro-contos Oficina dos Escritores(rapidinhas)
 Cadernos da Belgica
 " target="_blank">Ilze Soares
 RIO TOTAL- Coojornal
 Tempo


 
 
www.platanos.coloridos.zip.net


 

Para sempre

 

(Carlos Drummond de Andrade)

 

Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.

Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
- mistério profundo -
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.

 



Escrito por Tania às 18h54
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




[ ver mensagens anteriores ]